Press "Enter" to skip to content

Vantagens do desfibrilador DEA

Isakc Moura 0

O Desfibrilador Automático Externo (DEA) é um aparelho portátil que automaticamente diagnóstica arritmias de fibrilação e taquicardia em um paciente. Ao diagnosticar, o DEA é capaz de tratar através da desfibrilação ou seja uma corrente elétrica que faz com que o coração volte ao ciclo cardíaco normal.

 

Recomendado para civis e para locais fora do ambiente hospitalar, tanto por sua portabilidade e uso simplificado pois conta com apenas 1 ou 2 botões e dá instruções(voz) em alto e bom som. Segundo o Depoimento do Dr. Paulo Hori – Especialista da SAMU com o treinamento correto uma criança de 13 anos pode operar e uma vida.

 

As principais vantagens de se ter um DEA são:

 

Em caso de parada cardiorrespiratória vai ser utilizado de imediato para prestar os primeiros atendimentos às vítimas, sabe-se que a cada minuto sem atendimento a vítima perde 10% das chances de vida.   

 

 

O DEA atua sozinho, instruindo quem presta socorro durante todo o procedimento de atendimento e aplicando o choque quando necessário

 

Enfrenta 35% dos casos de morte do Brasil, cerca de 400 mil vidas por ano segundo o SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia).

 

Como utilizar corretamente ? 

 

Bem, existem vários modelos de DEA – Desfibrilador Externo automático, mas eles têm padrões de operação para funcionar de modo semelhante com variações.

 

Existem 4 passos no processo do uso do DEA:

 

  1. Ligue o DEA

Após pressionar o botão de ON/OFF, escute as instruções que serão dadas pelo aparelho e as siga

 

  1. Posicione as pás no tórax

O aparelho irá indicar para posicionar as pás, siga as instruções que o aparelho informa, e em alguns modelos na película adesiva que se remove para aplicar conta com uma ilustração de onde posicionar cada pá, já que cada uma conta com um pólo elétrico (positivo e negativo).

 

      

(imagem retirada do site da IESPE)

 

Posicionando como na imagem, Do lado direito – Deve ser aplicado no tórax logo acima do mamilo. Do lado esquerdo – Na região da costela na altura dos bíceps.

 

  1. Analise o ritmo cardíaco

Dependendo do modelo o aparelho irá pedir para conectar o cabo ao DEA, em outros já vai estar conectado. Neste momento o aparelho começa a fazer a análise do ritmo e o aparelho irá decidir se ele tem a necessidade ou não de choque. Em qualquer um dos casos o DEA vai indicar o que deve ser feito até a chegada dos socorristas.

 

  1. Deflagre o choque

Antes de deflagrar (aplicar) o choque, de acordo com o direcionamento do aparelho, dê o comando para os presentes se afastem e ninguém toque o paciente ou o aparelho. Após a aplicação do choque comece imediatamente a fazer a compressão cardíaca (O aparelho faz sons para informar o ritmo ideal).

 

Lembrando que existem alguns casos que precisam de atenção especial

 

No casos de pessoas com muito pelo no tórax – Necessária a raspagem da região.

Pessoas com medicamentos em adesivo – Não aplicar sobre o adesivo do medicamento.

Pacientes que usam marca-passo – Não aplicar sobre o marca-passo pois irá interferir na análise do DEA.

Pessoas submersas ou molhada – Necessário secar a área em que o eletrodo será aplicado, no caso do submerso é necessário tirar o paciente da água.

 

Em caso de socorro infantil as pás devem ser aplicadas no centro da caixa torácica, com uma pá na frente e outra nas costas, em alguns modelos de DEA – Desfibrilador externo automático contam com uma pá(eletrodo) específico para uso pediátrico.

 

Caso queira adquirir esse item primordial para socorro, entre em contato com nossa equipe comercial.

 

Site: Modelos de desfibriladores DEA

Whatsapp: Clique aqui